Nesta terça-feira, 22 de outubro, como parte das ações do Dia Nacional de Combate à Sífilis, a Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), através do Centro de Referência e Especialidades em Saúde (CRES), realização uma mobilização a partir das 8h30, no terminal rodoviário. Durante toda manhã, acontecerão testes rápidos para HIV, sífilis, hepatites B e C, aconselhamento e mobilização para prevenção e distribuição de preservativos.

Em todas as ações de testes rápidos realizados entre 2018 e 2019 em Camaçari foram detectados casos positivos de sífilis. “Isso só reafirma o cuidado que devemos ter com a prevenção. Todas as nossas unidades de saúde distribuem preservativos, assim como realizamos no CRES o tratamento de todos os pacientes com sífilis. Contudo, é muito importante que o tratamento seja realizado sem interrupção e corretamente”, explica Elias Natan, secretário de Saúde.

Durante o dia, o CRES espera realizar mais de 100 testes rápidos, contribuindo para detecção precoce de casos de HIV, sífilis e hepatites e encaminhamento para atendimento especializado com equipe multidisciplinar no CRES, localizado na Rua 8 de dezembro, n° 59, Centro, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Outras informações sobre o atendimento no CRES podem ser obtidas através do contato (71) 3622-0949.

Sífilis em Camaçari

Em 2018, foram notificados 312 casos de sífilis adquirida em Camaçari. Já em 2019, até dia 15 de outubro, foram 155 casos. Em 2018, foram registrados 116 casos de sífilis em gestantes.  E em 2019, já são 65 casos até 15 de outubro.

Considerando que Camaçari encontra-se entre os 100 municípios brasileiros que possuem altos índices de sífilis congênita, em gestantes e adquirida, o Programa Municipal de IST Aids e Hepatites Virais tem como meta chamar a atenção de profissionais e população para a importância da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento da Sífilis, com oferta de testagem rápida, busca ativa de gestantes e mulheres em idade fértil e parcerias sexuais.

Em 2018, foram notificados 1.352 casos de sífilis congênita na Bahia, com taxa de detecção de 6,6 casos por 1.000 nascidos vivos. Se comparado com 2017, tem-se uma taxa de detecção de 5,9, caracterizando uma elevação no número de casos.

A sífilis congênita (SC) é uma doença de elevada magnitude e transcendência, passível de controle desde que as mulheres com sífilis sejam diagnosticadas e tratadas adequadamente durante a gestação. A prevenção da transmissão vertical da sífilis é uma prioridade da Secretaria Estadual da Saúde, em consonância com Ministério da Saúde (MS), alinhada com orientações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial de Saúde (OMS), para atingir a taxa de incidência de sífilis congênita menor ou igual a 0,5 caso por 1.000 nascidos vivos.

A infecção congênita por Treponema Pallidum é considerada uma afecção grave, responsável por óbitos, abortos e mortalidade, além de sequelas na evolução da criança. A notificação e a vigilância da sífilis são indispensáveis, por contribuírem no monitoramento e eliminação da transmissão vertical.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui